terça-feira, 28 de agosto de 2007

Tita

O nome dela é Tita.
Passa lá em casa, me chama para um sorvete.
Tomo o sorvete, lambo sua blusa até cansar.
O amor é assim.
Quando ela vai embora, lambo as minhas mãos.
Escrevo sorvete num pedaço de papel.
E fico olhando pro céu.

7 comentários:

Ana disse...

deliciosa surpresa descobrir suas letras (eu sou lerda, caminho lento), nessa intimidade com que as palavras falam por você.

tô linkando.

um beijo

Cássio Amaral disse...

Gostei Xarú da construção e da sacada. Gosto da sua poesia, da sua escrita. Muito bom!

Beijo.

André disse...

Bel!
Quanto tempo!
Que saudades!
Como é difícil te achar!
Manda umas notícias de sua vida aí!
"Como vai você...
eu preciso saber da sua vida...
peça alguém pra me contar sobre seu dia...
Amanheceu e eu preciso só saber...
como vai você..."
Meu e-mail é andresallescoelho@gmail.com
Um beijão!

Grazzi em ContRo disse...

Eu lambi!

www.jorgeanabraga.zip.net disse...

bonito isso.

isaiasblog disse...

parece que a realidade é bem o que a gente quer. pensei nisso mais uma vez ao ler por acaso este poema seu. muito bom mesmo.participo de um blog dedicado ao cinema. nos visite e, se sentir, deixe um comentário lá.
voutarei ao seu blog e a sua boa escrita.do novo amigo isaias

isaiasblog disse...

...foi mal iza,o endereço do blog é dissertandosobrecinema.blogspot.com