sexta-feira, 30 de março de 2007

Areia

Sonhei que ia ao seu encontro
e você estava sentado entre amigos
E quando eu ia te tocar
minhas mãos se apagavam
como na areia

As minhas mãos
recebiam o mar

E você ria
e pedia que eu ficasse
e você ria
e me chamava para ir a um sítio

E você ria
e me abraçava
e eu tinha que ir embora

Os seus cabelos estavam crescidos
e havia mais dentes
entre os seus dentes
Meu cinto já não podia fechar

E você ria
e me abraçava
e eu tinha que ir embora
como num crime

O sítio era em outro lugar
E quando eu ia te tocar
minhas mãos se apagavam
Movediças
no osso dos desejos


8 comentários:

Matt Morpheus disse...

Acabei de ler seu comentário bela Bela,e nao, infelizmente nao tem jeito de traduzir automaticamente nao. *(tradução automatica é uma porcaria, na minha opinião...às vezes quebra o galho, mas em geral é ruim. Por isso nao usei uma.Ainda. Até uma se preste, pelo menos razoavelmente, ao trabalho.)

Mas podemos combinar de lê-lo sob a luz de velas ou sob o efeito de algum suco de morango numa LAN por aí, quem sabe.

Enfim, darei um jeito de mandar uma cópia em português ou de disponibilizar uma online,sim.

AGRADEÇO pela observação, uma vez que o que sabemos de nós geralmente vem pelo olhar de outros.

A propósito estou postando agora um texto quwe acabo de escever...meio metalingüístico mas acho que dá conta do recado.

Mas afinal...quem sou eu pra dizer alguma coisa se o texto é meu? Peço sua visita mais uma vez, e quem sabe, me mande seu email ou MSN...

Belíssimas imagens mew traz o seu texto...
Então, para mim que sou tão imagético e consigo ver sua praia e mesmo a presença daquela ausência mencionada lá, ele é clarissimo...com cores azul claro e areia ao redor...Belíssimo!

Matt Morpheus disse...

Sabe de uma coisa...
O comentário no seu texto "Elas estão aí" Era meu tb... Nikkolai Hel a seus serviços...
Aliás, caso queira me encontrar....à maneira de Alice, me encontra no casa de 'sakabattou' logo antes da leve 'arroba' eletrônica dum quente hotmail.
Abraço,Nikko.

Helena disse...

Resolvi cantar pra vc:

Quis saber o que é o desejo, de onde ele vem
Fui até o centro da terra, e é mais além
Procurei uma saída, o amor não tem,
Estava ficando louco, louco, louco de querer bem!
Quis chegar até o limite de uma paixão
Baldear o oceano com minha mão
Encontrar o sal da vida, e a solidão
Esgotar o apetite, todo o apetite do coração

cássio amaral disse...

Imagens perfeitas de desfecho brilhante.

Cláudia disse...

Bel,
Estava em um terrível dia de Amélia (aquela chata que era mulher de verdade....) quando lembrei do seu Bloq e fui salva do tédio.
Li tudo e gostei muito! Você escreve muito bem. Quem dera eu....
Agora vou dar uma de Gabriel:tem mais?
beijos.

cássio amaral disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!!

ricardo divino disse...

parabéns!

Paralaxe disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.